ADAPTAÇÃO ESCOLAR

   A adaptação ao ambiente escolar precisa ser harmoniosa e tranquila. A presença da família é fundamental durante esse processo, pois a criança necessita de apoio e afeto. E para a criança ficar bem no berçário, sem chorar (nem sofrer), envolve muitos fatores e, basicamente, os sentimentos de duas pessoas: mãe e filho. No decorrer dos dias, os vínculos vão sendo construídos e, assim, a integração da criança é conquistada.


Dos 4 aos 8 meses

   Nesta idade, a criança se adapta mais facilmente ao novo ambiente do Berçário. A adaptação mais difícil é a da mãe, que passou os primeiros meses totalmente dedicados ao seu bebê e, agora, tem que separar dele para voltar ao trabalho. Assim ao chegar a casa, após um dia de trabalho, dedique-se ao seu bebê, conversando com ele, brincando, dizendo a ele o quanto o ama… Desta forma, apesar de não passarem o dia juntos, seu filho saberá o quanto é amado e, no futuro, terá muito orgulho do sucesso profissional de sua mãe. Outro ponto fundamental nesta fase é a participação ativa do pai, que deverá estar ciente da necessidade da divisão das responsabilidades.

   Nesta fase, é importante que você passe algumas horas no berçário, conhecendo as professoras e auxiliares, transmitindo a elas todas as peculiaridades, gostos e hábitos alimentares de seu bebê.

   Outra dica importante é a preparação do bebê para começar na escola: converse com seu pediatra e introduza os alimentos como frutas, verduras e legumes ainda em casa (no mínimo 15 dias antes do início do bebê no Berçário).

   Se ainda estiver amamentando, procure dar o peito somente nos horários em que ele estará mamando após sua volta ao trabalho (desta forma, o bebê não sentirá falta do peito durante o dia).

   Após passar um dia no berçário, você deverá estar tranquila e confiante nas pessoas que irão cuidar de seu bebê.

   Se tiver dúvidas é importante conversar com a nossa coordenadora pedagógica ou com o setor de orientação. Lembre-se que a confiança na Escola é fundamental para garantir sua tranquilidade enquanto seu bebê está conosco.


Dos 8 aos 12 meses

   Nesta fase, a criança costuma estranhar mais outras pessoas, pois já identifica claramente quem cuidou dela até aquele momento. Por isso, a adaptação pode ser um pouco mais demorada. Caso a criança estranhe muito as colaboradoras do Berçário, uma pessoa (a mãe, o pai, a avó, a babá) poderá ficar durante uma manhã ou tarde com ela dentro do Berçário. O objetivo é que ela se habitue ao espaço, com o berço, com os brinquedos, com os novos amiguinhos e se integre ao ambiente escolar.

   A presença da pessoa conhecida não deve se estender muito, pois se isso ocorrer, a criança criará uma “barreira” em aceitar as colaboradoras, e o seu sofrimento (sensação de abandono) será mais intenso.

   Embora a criança ainda seja pequena, é importante que você converse com ela e explique que, embora ela esteja ficando no Berçário durante o dia, depois você virá buscá-la e passarão ótimos momentos juntos.

   Pode haver choro na entrada, mas você deve se manter firme, se despedir, e deixar a criança com a berçarista, que irá acalmá-la. Nunca saia “escondida”, pois seu bebê se sentirá traído.

   Caso a criança, após este período, apresente uma reação incontrolável com ansiedade e pânico a estranhos, é desaconselhável deixá-la à força, devendo-se então prolongar o período de adaptação, dando tempo à criança para que a mesma possa desenvolver a confiança necessária nos adultos e no novo ambiente (desconhecido), consolidando assim, a confiança necessária em sua mãe.

   A mãe tendo confiança no Berçário, sentirá segurança na separação e esse sentimento será transmitido à criança. Ainda assim, o período de adaptação varia de criança para criança, e deve ser avaliado individualmente.